top of page

A Universidade Corporativa das Faculdades da área de Saúde

Atualizado: 14 de mar. de 2022



Formação específica ajuda lideranças de Instituições de Educação da área de Saúde a desenvolverem competências de gestão

Em uma economia cada vez mais pautada no conhecimento, o conceito de Universidade Corporativa está sendo adotado por organizações empresariais de vários segmentos para oferecer aos funcionários uma formação focada nas demandas das empresas. As Instituições de Educação Superior (IES), apesar de estarem inseridas em um ambiente administrativo complexo, por muito tempo ficaram de fora desta tendência, mas agora já percebem a necessidade de formar os seus próprios quadros de gestão.

Assim como acontece em outros setores, para muitas instituições de educação da área de Saúde, mais viável do que desenvolver uma Universidade Corporativa internamente é contratar empresas especializadas que atuam neste segmento. É o caso da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais (FCMMG), que em 2020 percebeu a necessidade de promover a formação de todo o seu quadro de Coordenadores de Cursos e de membros dos seus Núcleos Docentes Estruturantes para capacitá-los especificamente na área de gestão.

Segundo o diretor da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, José Celso Cunha Guerra Pinto Coelho, a capacitação das equipes da Faculdade está prevista em seu Planejamento Estratégico e o objetivo é contar com líderes que sejam capazes de engajar as suas equipes. “Acredito no papel transformador que as lideranças são capazes de exercer junto às equipes. Além disso, percebemos que não adianta capacitar algumas lideranças individualmente, porque os resultados dependem de todos falarem a mesma língua e estarem alinhados”, conta José Celso.

Para o diretor da Carta Consulta, empresa que implantou o Programa de Formação Executiva na Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais e que é responsável pela formação de gestores de IES em programas lato e stricto sensu, Wille Muriel, as Universidades, Centros Universitários e Faculdades atuam em um sistema muito regulado, o que faz com que seja difícil acompanhar as mudanças na legislação e nos processos avaliativos. “Existem diretrizes por curso, normas específicas, orientações de conselhos de classe e de sindicatos e associações. Como preparar gestores para executar suas tarefas dentro dos limites e das possibilidades indicadas pelo Ministério da Educação?”, questiona Wille Muriel.

Para enfrentar os desafios do setor, os profissionais que atuam em IES de saúde precisam de capacitação específica para atuar como gestores. É o que afirma o vice-diretor da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, Rafael Duarte Silva. Ele conta que é preciso levar em consideração que essas pessoas, de forma geral, não contaram em sua trajetória profissional com uma formação na área de administração. “Virar essa chave não é fácil. As pessoas precisam ser bem capacitadas para isso. Por isso, a formação é fundamental. A partir dela, a equipe entende que cada um é responsável pelo resultado geral da Instituição”, afirma Rafael.

De acordo com o vice-diretor da Faculdade, os resultados obtidos a partir do Programa de Formação Executiva desenvolvido pela Carta Consulta foram quase instantâneos. “No dia seguinte, em nossas reuniões, já pudemos notar a mudança de comportamento entre as pessoas. Como fruto do Programa, demos início a encontros de estudos e desenvolvimento internos, já que percebemos como esse alinhamento entre a equipe é importante. Além disso, pretendemos retomar as capacitações com a contratação de novos módulos do Programa de Formação Executiva e de outros cursos, a partir de demandas específicas”, conclui.

Uma das especialistas responsáveis pelo desenvolvimento do Programa de Formação Executiva implantado na FCMMG, Roberta Muriel, que também é diretora executiva da Carta Consulta, conta que a IES vem passando por transformações significativas para o seu desenvolvimento enquanto referência na formação de profissionais para a área da saúde. “É por isso que a Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais vem investindo na formação de quadros executivos que normalmente são ocupados por professores da casa que apresentaram um perfil natural de liderança e assumiram postos gerenciais e executivos com relevância estratégica para a operação da Faculdade”, afirma.

Formação especializada

O diretor da Carta Consulta, Wille Muriel, conta que a empresa decidiu criar um programa de formação executiva para gestores de IES de Saúde ao observar o crescimento do número de executivos de Faculdades deste segmento que se matriculam todos os anos nos cursos de formação de gestores de IES oferecidos pela Carta Consulta.

Segundo Wille Muriel, os médicos que administram uma IES percebem que gerir uma faculdade de medicina, ou de qualquer curso na área de Saúde, é extremamente complexo. “Um aspecto que sempre relatam é a dificuldade que enfrentam para construir uma visão compartilhada sobre a estratégia da organização, seus desafios, sua missão e até sobre os objetivos para os ciclos de gestão. Neste sentido, o Programa de Formação Executiva da Carta Consulta atende a uma demanda importante, ajudando estes profissionais a contarem com mais ferramentas e instrumentos que vão ajudá-los em seu dia-a-dia”, afirma Wille.

Para mais informações sobre o Programa de Formação Executiva na área de Saúde oferecido pela Carta Consulta, é possível consultar os detalhes no site da empresa (https://www.cartaconsulta.com.br/pfe-saude).





Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page