top of page

A VIRTUALIZAÇÃO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO

Segundo dados do INEP/MEC, já em 2018, o número de ingressantes na modalidade EaD dos cursos de graduação em Administração já havia superado o número de ingressantes na modalidade presencial. Naquele ano foram 4.469 ingressantes a mais, mas em 2021 esta diferença alcançou a marca de 139.960 alunos calouros. Na composição da base de alunos (ingressantes menos concluintes) a modalidade EaD já havia superado a presencial em 2016.


Sim, o curso de Administração está seguindo para a EaD. Contudo, transformar os cursos para a EaD pode não ser o caminho. Uma análise mais aprofundada indica que, a partir de 2019, o número de inscritos na EAD está caindo na mesma proporção que na modalidade presencial, ou seja, o interesse em relação a esta formação parece estar se esvaindo tanto no online quanto no off-line. O que está acontecendo?


Cortando a análise para uma única Faculdade em Campinas com proposta de formação presencial por meio de uma graduação de excelência na formação gestores de empresas, observa-se que o número de inscritos vem aumentando de forma regular e consistente desde 2018 (CPV de 1,18 em 2021, frente a uma média de 0,93 dos últimos onze anos). E a base de alunos cresceu em 2020 e 2021, mesmo nos anos da Pandemia da Covid-19. Fazendo outro recorte, agora para uma IES com a mesma proposta na cidade de São Paulo, percebe-se uma evolução no número de inscritos desde 2017, com CPV de 6,99 em 2021, acima da média histórica para os últimos onze anos na IES (6,46). Nesta, o número de ingressantes cresce desde 2019 e a base de alunos alcançou o maior nível em 2021.


Estes números indicam que o marketing está atraindo inscrições para os dois centros de excelência e que há interesse pelo curso de graduação em Administração na modalidade presencial, desde que a proposta seja voltada para uma experiência de formação impactante. Ponto para propostas diferenciadas?


A oferta de cursos de graduação em Administração cresceu de maneira desordenada nos últimos 20 anos. Sem identidade e implantados porque exigiam menos investimentos, tornaram-se comuns demais para que fossem escolhidos como uma opção transformadora de realidades pessoais, empresariais e econômicas. O aumento do interesse por esses cursos na EaD decorrem da venda de serviços convenientes, ou seja, baratos e que podem ser realizados no tempo do cliente. Um fôlego a mais para esses cursos, mas que não indicam um crescimento sustentável nem no curto prazo.


A formação de lideranças competentes é algo fundamental para o desenvolvimento das nações e há demanda para bons cursos de graduação em Administração. Se a sua IES ainda não a encontrou coloque todo o projeto sobre uma mesa e faça a análise aprofundada do seu composto mercadológico. E não se esqueça de convidar o marketing, o comercial e, principalmente, o NDE para esta oficina de trabalho.


Quer conhecer outros números do setor educacional?


Wille Muriel




Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page