Captar e gerir a permanência. Mas por onde começar?


Quais são os maiores desafios das instituições para desenhar um ciclo adequado das ações relacionadas à atração, captação, formação da comunidade e gestão da permanência? Por onde iniciar? Quais são os setores envolvidos? Em quanto tempo? Isso envolverá a organização educacional como um todo?


Compartilhamos abaixo algumas questões e conceitos fundamentais para as ações que envolvem a captação e retenção de alunos.


A identidade, as informações exponenciais e a experiência.


O mundo passa por uma metamorfose onde novas competências são exigidas. O ritmo para alinhar capacidades, ideias e novos modelos de negócio diante da crescente expansão informacional e todas mudanças ocorridas entre a relação competitiva ditam o compasso atual do que podemos considerar como a nova interface das organizações. Com essa "meta dinâmica" em curso existe a necessidade de uma reflexão sobre quais serão as visões e ações alinhadas ao novo ambiente de ampliação de oportunidades. É preciso provocar mudanças e encarar realidades mais próximas ao comportamento das novas gerações e toda relação diante dos fatores econômicos, sociais e globais. Precisaremos de agilidade, inovação e capacidade para configurar perspectivas necessárias às transformações ocorridas nos modelos de negócio, operações, ciclos de relacionamento e experiência exigentes ao momento atual onde modelos organizacionais tradicionais serão constantemente avaliados.


A identidade como dado principal.


Afirmar os valores já percebidos e construir significado nos canais online e off-line torna-se ordem fundamental. Criar, dirigir e codificar a tradução da identidade de bens e serviços é tarefa que precisa atentamente aprimorar o diálogo entre a comunidade e a experiência desenvolvida através de pontos de contato e canais de relacionamento. É necessário dar sentido, comunicar e "ressignificar" valores já potencializados pelas relações nesse ambiente híbrido e desenvolvedor da linguagem potencial da marca e organização.


Canais, relações e comunidade.


Com uma atuação desenvolvida nos meios físicos e digitais e focada para uma atividade voltada à escuta e a colaboração, torna-se vital a estruturação dos canais de relacionamento integrados ao panorama da linguagem, comunicação, design e interface das organizações.

Sendo assim, os componentes dessa nova ordem de canais e relações partilham de um ambiente de performance simultânea, onde "relacionamento" e "data" estão integrados ao planejamento, acesso, aquisição e otimização de informações estratégicas, vindas da experiência dos usuários, clientes e "stakeholders".


O aprendizado e as informações exponenciais.


É preciso pensar no momento "data-design" e desenvolver o plano estratégico alinhado às perspectivas dessa nova ordem, onde o ambiente da "interpretação" estará intrincado ao universo do desenho, do projeto e de toda a construção da "experiência omnichannel" produzida em tempo real e de maneira exponencial.

Dessa interação surgirá a oportunidade do aprendizado constante, capaz de transformar as informações em desenvolvimento de novas relações e práticas de gestão.


Nesse território sem limites para a convivência e troca, os "novos ambientes" nascidos dessa dualidade "físico virtual" em constante aprimoramento estarão atentos em transformar toda essa aquisição de dados estratégicos em informação válida, mútua, atualizada e necessária à evolução e sobrevivência da organização, marca.

Teremos um grande potencial de aprendizado se reunirmos como elementos catalisadores à inteligência de dados a gestão da experiência de bens e serviços, onde o engajamento e a noção de comunidade produzirão informações em tempo real, agilizando processos e capacidades de novas interações, indicando ciclos exponenciais de aprendizado, relacionamento, colaboração e compartilhamento.


Todo esse composto de relações objetiva a consolidação de novas experiências, contribuidoras e gestoras de conteúdos nascidos da própria comunidade, para uma construção de valores de identidade e marca colaborativos e focados em experiências reais.


No MBA Administração Acadêmica e Universitária discutiremos juntos sobre o que os gestores precisam desenvolver como "projeto de experiência" para o atendimento a consumidores conectados, exigentes e que ao mesmo tempo migram valores e relações do ambiente físico para o online.


André e Leonardo Martins Cardoso

Professores do MBA Administração Acadêmica

#captacao #retensão #gestão #gestãodeies #gestãouniversitária #avaliaçãoinstitucional